Scroll to top

Déficit de atenção ou distração?

Diariamente somos bombardeados com diversos estímulos nas redes sociais, televisão, estudos, outdoors, panfletos e tudo mais.

É quase inevitável tentar focar em algo e acabar se distraindo com alguma mensagem ou situação que acontece ao redor. Podemos considerar apenas distração e não um transtorno quando algo altera rapidamente um desses 4 tipos de atenção: atenção concentrada, atenção alternada, atenção seletiva e atenção focada.

Já o Transtorno de Atenção e Hiperatividade (TDAH) vai afetar até 3 delas ao mesmo tempo. A distração pode ser corrigida através de uma reeducação dos hábitos, como o uso excessivo de eletrônicos, estresse, má alimentação, uso de álcool e drogas e algumas psicopatologias. Enquanto o TDAH afeta consideravelmente a rotina, o desempenho no trabalho e as interações sociais.

As pessoas com TDAH são aparentemente muito sonhadores e distraídos. O Transtorno de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma condição do neurodesenvolvimento e está associado a problemas de memória. Na fase adulta é muito comum identificar o transtorno em comorbidade com outros, como TOD, transtorno de conduta, transtorno bipolar, transtorno anti social, dificuldades de aprendizagem.

Para diferenciar se o comportamento é característico de uma pessoa com TDAH ou apenas desatento é realizado uma avaliação psicológica que consiste em 12 encontros onde são realizados diversos testes específicos para a identificação do transtorno. Os testes são comparados com indivíduos em nível equivalente de desenvolvimento e apresentam resultados específicos para cada faixa etária.

O TDAH na fase adulta pode ser manifestado por excesso de trabalho e atividades estressantes. Os sinais de impulsividade podem ser identificados em situações como direção imprudente, relacionamentos amorosos de curta duração, alterações no sono (devido a dificuldade de organização nos horários), não acordar com despertadores e sonolência durante o dia. É possível identificar sinais de frustração ao se deparar com a necessidade de esperar por uma recompensa, preferindo as recompensas menores e imediatas. Dificuldades nos relacionamentos sociais são marcados por agressividade, falta de atenção, fala impulsiva e esquecimento (são mal interpretados), apresentam comportamento sexual de risco, gravidez precoce, alto índice de IST.

Pessoas com menos de 50 anos relatam dificuldades na vida familiar, em relações sociais, no manejo do dinheiro e na organização da vida diária. Assim como algumas dificuldades presentes na escola se mantiveram, como baixa autoestima, inibição social e dificuldade para expressar sentimentos.

No trabalho acontece muita procrastinação, principalmente quando alguma atividade exige muita atenção e a recompensa não é imediata; apresentam dificuldade de finalizar a mesma atividade, sempre pulando de uma para a outra; desempenho ineficiente, mudança de emprego frequentes, faltas, atrasos, erros excessivos, desorganização, esquecimento, fala impulsiva, problemas com autoridade, distração, lentidão, dificuldade de iniciar e priorizar atividades, está sempre buscando algo novo. Na vida pessoal tendem a buscar por atividades de risco como esportes, direção ofensiva e uso de substâncias psicoativas.

A identificação precoce do TDAH auxilia no melhor desempenho e eficácia do tratamento, que inclui psicoterapia para auxiliar na compreensão do transtorno, entendendo quais são os sintomas e seus impactos, aprendendo estratégias para lidar com sua rotina e relações.

O profissional com TDAH pode trabalhar e desenvolver suas atividades profissionais de forma efetiva e responsável, mas talvez com um ritmo diferente e não menos eficaz.

Confira abaixo no Minuto com a Over!

Compartilhe esse conteúdo 😉
Author avatar

Overstress

A Overstress é uma empresa que está na vanguarda na área de gestão à saúde em empresas.

Posts relacionados