Skip links

ODS 3: Saúde e bem-estar é pauta mundial!

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos em 2016 pela Organização das Nações Unidas, é um norte para a ação conjunta de todos em prol de mudanças positivas na sociedade.Lista dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

De modo geral, o propósito é amenizar as mudanças climáticas, reduzir a desigualdade econômica, social e politica, além de incentivar a inovação e promover paz, justiça e inclusão para todos os países.  

Claramente, atingir cada um desses objetivos é um grande desafio, sendo fundamental o compromisso e a colaboração de instituições públicas e privadas com o apoio de organizações não governamentais (ONG’s) para isso.    

Porém, a recompensa para entidades dispostas são variados, como reforçar seus valores e fortalecer sua reputação, ter melhores oportunidades de negócio e otimizar o processo de trabalho. 

Saiba mais lendo nosso texto a seguir:

A adaptação das empresas

No setor empresarial, os ODS já permeiam o planejamento corporativo, fazendo com que lideranças busquem estruturar suas condutas de modo a compactuar com o que é prioritário para alcançá-los. 

Ademais, nota-se a cobrança dos clientes, e até mesmo de colaboradores, em relação ao quão alinhada a organização está com a transformação coletiva.

No entanto, considerando o grau de complexidade, apesar dos esforços nem sempre é possível abranger todos os objetivos no plano de ação.

Sendo necessário eleger criteriosamente os que são mais apropriados com o ramo de atuação da empresa. 

Desse modo, faz mais sentido para algumas empresas focar em determinados objetivos com maior afinco do que outros.

Porém, sem deixar de apoiar e realizar parcerias com quem está se empenhando em propor soluções para os demais problemas. 

ODS 3: Saúde e bem-estar 

Contudo, a terceira meta (ODS 3) abordada pela ONU chama a atenção justamente por ser importante e possível de ser trabalhada independente da organização.

Já que o acesso e a promoção da saúde e bem-estar está associado diretamente ao cuidado do lado mais frágil e essencial do ser humano.

É evidente que sem estabilidade física e mental, a construção de uma sociedade próspera e justa se torna menos viável. 

Portanto, o investimento nesse aspecto gera um retorno ainda maior a longo prazo, construindo para que as futuras gerações sejam mais saudáveis.

Dificuldades para a garantia de saúde de qualidade 

Sabemos que os problemas referentes a saúde pública são muitos, principalmente em países subdesenvolvidos e emergentes, como é o nosso caso. 

Nas últimas décadas nos deparamos com a incidência de novos tipos de doenças, infecções, distúrbios físicos e mentais que se propagam com muita facilidade.

Diante dessas circunstâncias, pesquisadores científicos e profissionais da área travam uma “corrida contra o tempo” para desenvolver novos métodos seguros de tratamento. 

Contudo, fatores como alterações ambientais e as crises socioeconômicas acabam sendo obstáculos para oferecer cuidado qualificado a toda população mundial. 

O interesse em saúde preventiva

Devido a esse quadro atual, a saúde preventiva tem ganhado espaço e a disseminação de informações a respeito de bons hábitos tem aumentado.

Adotar o autocuidado não é apenas uma escolha que traz resultados individuais. 

Quanto mais pessoas conscientes da importância de uma rotina saudável, menor será o número de pacientes que buscam tratamento em hospitais e centros de saúde em geral.

Compartilhe esse conteúdo 😉